Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto do ozônio e de seus precursores na emissão de compostos orgânicos voláteis e na atividade antioxidante de folhas de plantas modelo expostas a condições controladas

Processo: 08/03208-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Novas Fronteiras
Vigência (Início): 22 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 21 de janeiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Silvia Ribeiro de Souza
Beneficiário:Silvia Ribeiro de Souza
Anfitrião: Jarmo Holopainen
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Eastern Finland, Kuopio, Finlândia  
Assunto(s):Compostos orgânicos voláteis   Poluição atmosférica   Populus

Resumo

Os compostos orgânicos voláteis (COVs) têm um papel fundamental na atmosfera por serem iniciadores de uma série de reações que promovem o acúmulo de ozônio e de outros oxidantes que aumentam a capacidade oxidativa da atmosfera. Esses compostos são oriundos de fontes atrópicas e biogênicas, por exemplo, exaustão veicular e plantas, respectivamente. Em se tratando dessa última, consideram-se como os principais compostos os isoprenos e os monoterpenos, que são muito mais reativos com ozônio, radicais OH e NO do que aqueles emitidos por fontes antrópicas. Levando em conta os fatores ecológicos, os COVs biogênicos são componentes importantes na interação planta-ambiente, uma vez que alguns compostos são emitidos como respostas sinalizadoras e/ou auxiliadoras no combater ao estresse ambiental. Assim, ao mesmo tempo em que os COVs podem ser maléficos para as plantas por aumentar a capacidade oxidativa da atmosfera, a qual promove danos celulares muitas vezes irreversíveis, eles são também benéficos para as mesmas por auxiliar o combate ao estresse oxidativo, através ou do sequestro dos oxidantes atmosféricos, antes desses entrarem em contato com o meio celular, ou de alguma forma aumentar as defesas atioxidativas das plantas, minimiando os danos. Visto a complexidade do sistema envolvendo a interação planta-poluente, faz-se necessário estudar as respostas biológicas das plantas frente à poluição aérea para conhecer o como o perfil de emissão dos COVs biogênicos pode estar relacionado com as alteraçoes metabolica das mesmas. Por esse motivo, propõ-se nesse projeto testar a hipotése de que a mistura do smog fotoquímico, ozônio e seus precursores (NOx e hidrocarbonetos), pode ser elicitor ou inibidor da emissão de COVs por mudar o balanço pro-oxidante/ antioxidante das folhas das plantas de forma diferenciada daquela já conhecida para um único poluente, como o ozônio. Portanto, objetiva-se nesse estudo avaliar o padrão de emissão dos COVs e as defesas antioxidantes de folhas de planta modelo (Populus tricocarpa) sob condições controladas de fumigação com poluentes individuais e misturas de poluentes com potencial reacionário para gerar os produtos do smog fotoquímico - ozônio e outros oxidantes. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOUZA, SILVIA R.; BLANDE, JAMES D.; HOLOPAINEN, JARMO K. Pre-exposure to nitric oxide modulates the effect of ozone on oxidative defenses and volatile emissions in lima bean. Environmental Pollution, v. 179, p. 111-119, AUG 2013. Citações Web of Science: 11.
PINTO, DELIA M.; BLANDE, JAMES D.; SOUZA, SILVIA R.; NERG, ANNE-MARJA; HOLOPAINEN, JARMO K. Plant Volatile Organic Compounds (VOCs) in Ozone (O-3) Polluted Atmospheres: The Ecological Effects. Journal of Chemical Ecology, v. 36, n. 1, p. 22-34, JAN 2010. Citações Web of Science: 63.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.