Busca avançada
Ano de início
Entree

Dendrímeros como sistemas de liberação tópica para a veiculação do ALA e da PpIX para uso na terapia fotodinâmica do câncer de pele

Processo: 06/03575-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2006
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Renata Fonseca Vianna Lopez
Beneficiário:Luciana Mattoso Pires de Campos Araújo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil

Resumo

A Terapia Fotodinâmica (TFD) constitui uma modalidade terapêutica inovadora para o tratamento do câncer de pele. As pesquisas nessa área estão direcionadas ao estudo de fotossensibilizadores e precursores destes, bem como de sistemas de liberação que otimizem sua penetração e localização no tecido alvo. O ácido 5-aminolevulínico (ALA), precursor do agente fotossensível protoporfirina IX (PpIX), é a substância mais empregada no tratamento tópico, associado a TFD, de tumores cutâneos. No entanto, sua biodisponibilidade local é normalmente insuficiente para produzir um efeito terapêutico completo. Além disso, a estabilidade do ALA nas formulações mais empregadas (solução e creme) é bastante baixa, fazendo com que o pó do fármaco seja misturado com os outros excipientes apenas antes do uso. Na tentativa de melhorar a estabilidade do ALA e aumentar o número de moléculas disponíveis para a conversão em PpIX, o objetivo deste projeto é preparar e caracterizar dendrímeros contendo ALA e estudar a absorção cutânea passiva e iontoforética, in vitro e in vivo dessa substância a partir dos dendrímeros desenvolvidos. Além disso, como o ALA nada mais é do que o precursor da substância fotossensível PpIX, a qual não costuma ser administrada topicamente principalmente devido a sua alta lipofilia e localização subcelular difusa, pretende-se também obter e caracterizar, para a administração tópica, dendrímeros com essa substância. Os dendrímeros, da mesma forma que a ciclodextrina, devem formar complexos com o ALA ou a PpIX, aumentando sua estabilidade e solubilidade em água. No entanto, por serem macromoléculas, os dendrímeros provavelmente não atravessarão a pele passivamente. Sendo assim, as formulações serão submetidas à aplicação de uma corrente elétrica fraca (iontoforese). A iontoforese deve facilitar a penetração do complexo na pele e, uma vez dentro dela, esse sistema pode facilitar a entrada do ALA e da PpIX no núcleo das células e melhorar sua distribuição no tecido. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
ARAÚJO, Luciana Mattoso Pires de Campos. Dendrímeros como carreadores da protoporfirina IX para a terapia fotodinâmica tópica do câncer de pele. 2011. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

COMPLEXO DENDRÍMETRO-SUBSTÂNCIA FOTOSSENSIBILIZANTE, COMPOSIÇÃO COMPREENDENDO O REFERIDO COMPLEXO, USO DO COMPLEXO E KIT BR1020120024942 - Universidade de São Paulo (USP) . Danielle C. A. S. de Santana; Flavio da Silva Emery; Luciana M. P. de Campos Araújo; Renata Fonseca Vianna Lopez; Stephania Fleury Taveira - 03 de fevereiro de 2012