Busca avançada
Ano de início
Entree

O impacto do desmatamento no ciclo hidrológico: um prognóstico para o caso da Rodovia Cuiabá-Santarém

Processo: 02/11004-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2003
Vigência (Término): 31 de outubro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Humberto Ribeiro da Rocha
Beneficiário:Rafael Rosolem
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Amazônia   Uso do solo   Desmatamento   Ciclo hidrológico   Evapotranspiração   Precipitação atmosférica   Mudança climática   Simulação numérica

Resumo

O impacto das alterações na cobertura da superfície (desflorestamento e mudanças de uso da terra) remete à questões não respondidas na funcionalidade dos ecossistemas e sua vulnerabilidade às variações do clima (chuva e a temperatyra). As mudanças no uso da terra modificam os cenários de sumidouros e emissão de carbono, assim como há potencialmente alterações no ciclo hidrológico. Vários estudos apontam para uma substancial redução no regime de chuvas decorrentes de mudanças na vegetação. Isto resultaria principalmente dos controles de fluxos de calor e água decorrentes de variações no albedo e umidade do solo. Este projeto irá realizar um estudo integrado de informações de mudanças de uso da terra nos próximos 20 anos (2002-2020) na região do eixo da rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163) onde se espera um intenso fluxo migratório, resultantes da pavimentação planejada e dos investimentos do Programa Avança Brasil. Os dados projetados de desmatamento (IPAM) irão fornecer um cenário para simulações com um modelo acoplado biosfera-atmosfera (RAMS), que será utilizado na avaliação da possível modificação do regime de chuvas em condições diversas (estação chuvosa, transição de estação, eventos extremos como El Niño, e em condições de aumento de temperatura decorrentes de variações globais). Pretende-se atingir um prognóstico do estado do ciclo hidrológico em função da densidade de desmatamento regional. (AU)