Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre os níveis séricos de cortisol, T4 total e livre, T3 total e livre e a contagem de ovos por grama de fezes (OPG) em ovelhas das raças ideal e Suffolk ao final da gestação

Processo: 98/01935-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 1998
Vigência (Término): 09 de abril de 2001
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Lucy Marie Ribeiro Muniz
Beneficiário:Luciana Del Rio Pinoti
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil

Resumo

A semelhança de outras espécies, as ovelhas próximas ao parto e durante a lactação ficam imunossuprimidas e mais susceptíveis aos nematódeos. Este aumento da carga parasitária das ovelhas ocorre próximo ao parto e se mantém elevado até o final da lactação, tem sido denominado como "fenômeno do periparto (FP)" e acredita-se estar relacionado com as variações hormonais que ocorrem durante esta fase reprodutiva. Recentemente desenvolvemos pesquisa com apoio da FAPESP (Processo nº 95/8874-0), onde verificamos que o FP se manifesta naturalmente em ovinos das raças Suffolk e Ideal criados em regime de pastoreio no Estado de São Paulo. Neste estudo foi verificado que as variações hormonais de progesterona e estradiol séricos estão melhores relacionadas ao desencadeamento do FP do que a manutenção do fenômeno durante a lactação. Estes resultados sugerem que o estresse da lactação e os hormônios lactogênicos contribuem para a manutenção do FP. Estudos recentes tem demonstrado que a imunossupressão pode ter sua origem num complexo inter-relacionamento entre o estresse, a nutrição e os hormônios da tireóide. Objetiva-se neste estudo comparar as relações entre os níveis séricos de cortisol, T4 total e livre, T3 total e livre com a contagem de ovos de fezes (OPG) de ovinos das raças Suffolk e Ideal na fase final da gestação, durante a lactação e após o desmame. Para tal, utilizar-se-ão amostras de soros obtidas de 25 ovelhas da raça Suffolk e 18 da raça Ideal, conforme metodologia descrita no estudo anterior supracitado (FAPESP processo nº 95/8874-0) e em nossa dissertação de Mestrado (Ciarlini, 1997). Todas as ovelhas do referido estudo eram multíparas na terceira gestação/lactação e foram mantidas num mesmo piquete durante todo período experimental. As amostras de sangue para obtenção de soro para as dosagens, hormonais foram sempre colhidas no mesmo horário (entre 8 e 10 horas) e a cada sete dias. As amostras sangüíneas de todas as 43 ovelhas foram obtidas a partir da quarta semana que antecede o parto, durante toda lactação e quatro semanas pós-lactação, totalizando 14 colheitas e 602 amostras. Utilizar-se-ão neste estudo apenas alíquotas de soros conservadas a menos 20 graus Celsius e que não foram submetidas a nenhum tipo de descongelamento até o momento das dosagens. As colheitas de fezes e de pasto foram realizadas semanalmente, durante todo o período experimental, a fim de se estimar a contagem de ovos por grama de fezes (OPG) das ovelhas e avaliar a contaminação do pasto com larvas infectantes. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.