Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das interações PrPc-laminina e PrPc-receptor na distribuição e no papel fisiológico de PrPc e dos possíveis mecanismos compensatórios presentes em animais Knockout

Processo: 00/03629-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2000
Vigência (Término): 30 de novembro de 2002
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Vilma Regina Martins
Beneficiário:Kil Sun Lee
Instituição-sede: Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer (ILPC). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/07124-8 - Papel da proteína prion celular em processos fisiológicos e patológicos, AP.TEM

Resumo

Proteína Prion celular (PrPc) é uma glicoproteína ancorada por GPI e cuja função fisiológica ainda é desconhecida. Nosso grupo caracterizou uma proteína de 66kDa como receptor de PrPc. Essa proteína interage com PrPc mediando uma sinalização química e estimulando neuritogênese e memória. Não se sabe ainda se essa proteína participa diretamente na internalização de PrPc. Portanto, este projeto tem como primeiro objetivo avaliar a co-localização de PrPc e seu receptor e a importância deste na internalização de PrPc usando imunofluorescência ou expressando PrPc numa molécula de fusão com GFP. Além disso, mostramos que PrPc interage especificamente com a laminina estimulando crescimento de neuritos e memória, sugerindo que a função fisiológica de PrPc depende de um arranjo complexo de proteínas da matriz extracelular, PrPc e proteínas transmembrânicas. Assim, também será estudado o papel da interação de PrPc-laminina na distribuição e na internalização de PrPc. Ainda com idéia de elucidar o provável papel fisiológico de PrPc, identificamos dois genes que são diferencialmente expressos entre animais normais e "knockout" para PrPc como cadidatos envolvidos no mecanismo compensatório presente nos animais "knockout". Esses genes são IAP (Proteína Associada à Integrina) e SNAP25 cuja compartimentalização e expressão temporal será estudada em cérebro de animais normais e "knockout" por imunofluorescência e "westem blot". (AU)