Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos de citogenética clássica e molecular em roedores brasileiros da tribo akodontini (Sigmodontinae, Muridae)

Processo: 02/04773-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2002
Vigência (Término): 31 de agosto de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Yatiyo Yonenaga-Yassuda
Beneficiário:Karen Ventura
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/11653-6 - Estudos evolutivos em vertebrados: I) análises citogenéticas, moleculares e morfológicas; II) levantamento cariotípico da fauna brasileira e III) banco de células e tecidos de mamíferos, AP.TEM
Assunto(s):Citotaxonomia   Citogenética   Rodentia   Cromossomos   Peixes

Resumo

Nos roedores sigmodontíneos neotropicais há uma grande dificuldade no estabelecimento de entidades taxonômicas claras devido à ampla diversidade, abundância e adaptabilidade ecológica das espécies, levando a uma imprecisão do número de espécies, gêneros e subgêneros em vários grupos, bem como em categorias taxonômicas mais elevadas, o que é refletido na dificuldade de elaboração de hipóteses evolutivas (Weksler, 1996). Nas últimas décadas tornou-se consenso que a citogenética, além de fornecer dados sobre a morfologia cromossômica, organização, função, duplicação, variação e evolução, fornece também informações imprescindíveis para estudos da morfologia externa e sistemática de vários grupos de roedores. Neste projeto de mestrado serão enfocados os roedores da tribo Akodontini (Sigmodontinae, Meridae), na qual os cariótipos têm desempenhado um papel fundamental no reconhecimento das espécies, reforçando a necessidade de abordagens de citotaxonomia no grupo. O desenvolvimento do presente projeto garantirá a comparação entre akodontinos provenientes de diversas localidades do Brasil. Pó meio de abordagens de citogenética clássica e molecular as quais serão associadas a estudos de distribuição geográfica, possibilitando o estabelecimento de inferências filogenéticas e filogeográficas mais conclusivas para uma melhor compreensão da história evolutiva do grupo. (AU)