Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do papel do íon ferro sobre a sobrevivência e multiplicação do Paracoccidioides brasilensis em monócitos humanos

Processo: 98/14515-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 1999
Vigência (Término): 30 de abril de 2001
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Angela Maria Victoriano de Campos Soares
Beneficiário:Luciane Alarcão Dias-Melicio
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Ferro   Fungicidas   Macrófagos   Monócitos   Paracoccidioides brasiliensis

Resumo

O ferro é um elemento essencial para o crescimento de todos os organismos, participando da estrutura de várias enzimas e proteínas. Alguns trabalhos têm demonstrado sua importância na multiplicação e sobrevivência de parasitas intracelulares como o Trypanosoma cruzi, Legionella pneumophila, Listeria monocytogenes e Histoplasma capsulatum. Como na paracoccidioidomicose, os mecanismos através dos quais o Paracoccidioides brasiliensis sobrevive dentro de macrófagos não está esclarecido, o objetivo do trabalho será avaliar o papel do ferro sobre este processo. Para isto, utilizaremos monócitos de indivíduos normais pré-tratados com diferentes drogas moduladoras do pool férrico intracelular disponível, e posteriormente desafiados "in vitro" com a cepa virulenta (Pb 18) de Paracoccidioides brasiliensis para avaliação da atividade fungicida. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DIAS-MELICIO, Luciane Alarcão. Papel do íon ferro sobre a sobrevivência do paracoccidioides brasiliensis em monócitos humanos e na evolução da paracoccidiodomicose experimental murina. 2001. 100 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.