Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de polimorfismos cromossômicos de Paracoccidioides brasiliensis

Processo: 98/01085-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 1998
Vigência (Término): 31 de julho de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Zoilo Pires de Camargo
Beneficiário:Luciano dos Santos Feitosa
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cromossomos   Genomas   Paracoccidioides   Polimorfismo genético

Resumo

Várias dificuldades nos estudos genéticos de Paracoccidioides brasiliensis tem ocorrido devido algumas características do fungo, tais como o desconhecimento de estágio sexual, alta taxa de reversão fenotípica, tanto na fase micelial quanto na fase leveduriforme e refração às análises citogenéticas. Entretanto, técnicas de biologia molecular tem sido utilizadas com êxito em outros fungos, refratários às análises citogenéticas, possibilitando a caracterização cromossômica, mapeamento cromossômico de genes e biotipagem epidemiológica. Similarmente, a técnica de eletroforese de pulso alternado (PFGE) tem sido utilizada no estudo de P. brasiliensis, gerando bandas cromossomais, visualizadas em géis de agarose. Até o momento, conseguiu-se separar moléculas de DNA cromossomal de 2 cepas deste fungo, observando variação polimórfica entre elas. Além disso, através da hibridação com sondas homólogas específicas, observou-se a localização de um determinado gene em cromossomos de cada cepa. O conteúdo de DNA e a avaliação da ploidia de P. brasiliensis foram analisados por PFGE, permitiu estimar o tamanho do genoma e a microfluorometria por microscopia confocal, através do qual foi medida a amplitude da fluorescência de núcleos individuais. Esses resultados tornam possível estimar que P. brasiliensis tenha um número haplóide de cromossomos. Por outro lado, o tamanho do genoma nuclear, estimado através de microfluorometria em microscópio confocal, foi duas vezes maior que o estimado pela soma das moléculas separadas através de PFGE. A cariotipagem molecular associada a estudos de mapeamento físico pode ser útil na identificação do isolamento de genes desse patógeno. São poucos os trabalhos sobre cromossomos de P. brasiliensis e o assunto merece ser investigado para se obter novos conhecimentos. Os objetivos do presente trabalho são: Estudar o polimorfismo de cromossomos de diferentes cepas de P. brasiliensis: 1. Por PFGE. 2. Mapeamento cromossômico de genes, utilizando sondas homólogas e heterólogas. 3. Mapeamento físico por hibridação de Southern blots de fragmento de DNA cromossômico. 4. Dimensionamento do genoma dos diferentes isolados. (AU)