Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos padrões espaciais de árvores de 4 formações florestais do estado de São Paulo, através de análises de segunda ordem (função K de Ripley)

Processo: 01/11825-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2002
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:João Luís Ferreira Batista
Beneficiário:Robson Louiz Capretz
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/09635-0 - Diversidade, dinâmica e conservação de árvores em florestas do estado de São Paulo: estudos em parcelas permanentes, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Árvores florestais   Distribuição espacial   Fragmentos florestais   Áreas de conservação   Análise estatística de dados

Resumo

Os padrões espaciais das árvores serão investigados em quatro remanescentes de florestas nativas do Estado de São Paulo. Cada remanescente está protegido por legislação vigente em Unidades de Conservação, e abrange fragmentos florestais representativos de quatro formações florestais naturais da região, que são a Mata Atlântica (P.E.Carlos Botelho), Floresta Estacional Semidecidual (E.E. Caetetus), Restinga (P.E. Ilha do Cardoso) e Cerradão (E.E. Assis). O objetivo principal deste projeto é descrever quantitativamente o padrão espacial de algumas espécies, individualmente e em conjunto, e relacioná-lo com informações sobre o meio. A discussão terá seu enfoque nas questões sobre dinâmica florestal, sobretudo em competição intra e interespecífica e efeitos do meio físico sobre o crescimento e a distribuição espacial das árvores. A distribuição espacial será analisada a partir de quatro mapas da vegetação, com 10,24 hectares, um em cada Unidade de Conservação. Cada mapa mostrará a localização de todas as árvores com CAP maior ou igual a 15 cm, identificadas e georeferenciadas. As análises estatísticas escolhidas foram as de Segunda Ordem, como a Função K de Ripley, em virtude de sua eficiência comprovada no tratamento de dados similares. As análises serão processadas com o auxílio do programa estatístico R similar ao S-Plus. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CAPRETZ, Robson Louiz. Análise dos padrões espaciais de árvores em quatro formações florestais do Estado de São Paulo, através de análises de segunda ordem, como a Função K de Ripley. 2004. 79 f. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.