Busca avançada
Ano de início
Entree

Degradação anaeróbia de fenol em reator de leito fluidificado

Processo: 01/09003-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2001
Vigência (Término): 31 de julho de 2004
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Edson Luiz Silva
Beneficiário:Giselle Patricia Sancinetti
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Compostos fenólicos   Tratamento biológico anaeróbio   Reatores de leito fluidificado

Resumo

Os sistemas modernos de tratamento anaeróbio com alta taxa oferecem enorme potencial para a degradação de águas residuárias complexas, ou seja, contendo compostos inibidores xenobióticos e/ou compostos mais ou menos recalcitrantes (vários tipos de aromáticos, aldeídos, lipídeos e ácidos graxos) ou sólidos suspensos e/ou oxigênio. Os resultados obtidos com o reator de leito fluidificado demonstram de maneira evidente que esse tipo de reator oferece muitos aspectos positivos e, que seu emprego apresenta-se com perspectivas bastante promissoras, especialmente na degradação anaeróbia de compostos tóxicos/recalcitrantes. Nesse sentido, a presente proposta visará estudar o potencial de um consórcio de bactérias anaeróbias na degradação de fenol em reator de leito fluidificado. O potencial de utilização de fenol pelas culturas será determinado em ensaios descontínuos com agitação, calculando-se as velocidades específicas de crescimento e consumo de substrato. As características hidrodinâmicas do reator e a formação e desenvolvimento do biofilme para diferentes partículas suporte (areia e espuma de poliuretano) serão estudadas visando definir as melhores condições operacionais do sistema, no sentido de alcançar maior eficiência na remoção de fenol pelo biofilme anaeróbio. O desempenho do reator anaeróbio de leito fluidificado será analisado variando-se a concentração de fenol no afluente e o tempo de detenção hidráulica. (AU)