Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da validação de metodologia cromatográfica para identificação de aldicarb em animais intoxicados

Processo: 01/08194-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2002
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Jorge Camilo Florio
Beneficiário:Ana Letícia Melito
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Aldicarb   Praguicidas   Inseticidas   Acaricidas   Nematicidas   Intoxicação

Resumo

O aldicarb é um praguicida, da família dos carbamatos, bastante utilizado na agricultura com acaricida, inseticida e nematicida, comercializado como Temik 150, e popularmente conhecido com chumbinho. Por sua alta toxicidade este praguicida, em nosso país, é comercializado ilegalmente como rodenticida e comumente usado com a finalidade de intoxicar e matar animais domésticos como cães e gatos. Das 2.862 necrópsias realizadas pelo serviço de patologia da Faculdade de Medicina Veterinária da USP foram encontrados 138 casos com suspeita de intoxicação por aldicarb, número este bastante relevante. O projeto ora apresentado propõe a validação de metodologia analítica, utilizando cromatografia liquida de alta resolução, seguindo as normas propostas pelas Boas Praticas de Laboratório (Chasin et al, 1994), para identificação de aldicarb em tecido proveniente de animais, cuja a causa de morte apresente suspeita de intoxicação por este carbamato. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MELITO, Ana Letícia. Metodologia para identificação cromatográfica de aldicarb em sangue de cães e gatos intoxicados. 2004. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.