Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da influência da estratégia de alimentação sobre a estabilidade e a eficiência de reator anaeróbio agitado operado em batelada alimentada sequencial, contendo biomassa imobilizada, tratando água residuária sintética

Processo: 01/02044-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2001
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2003
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:José Alberto Domingues Rodrigues
Beneficiário:Alisson Carraro Borges
Instituição-sede: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:97/05987-3 - Desenvolvimento de processos anaeróbios em batelada e batelada alimentada para tratamento de águas residuárias, AP.JP
Assunto(s):Reatores anaeróbios em bateladas sequenciais   Biomassa imobilizada   Poliuretanos

Resumo

Com o objetivo do estudo de configurações inovadoras de reatores anaeróbios em batelada visando seu desenvolvimento e a consequente otimização e viabilização da aplicação prática, os grupos da Escola de Engenharia de São Carlos (USP) e da Escola de Engenharia Mauá (IMT) trabalham em conjunto desde 1998, com convênio de pesquisa firmado e com o apoio da FAPESP. Uma das linhas de pesquisa nessas instituições está voltada para o reator anaeróbio em batelada contendo biomassa imobilizada em espuma de poliuretano, cujos resultados obtidos em escala de bancada foram promissores. No entanto, alguns problemas e dúvidas persistem por se tratar de tecnologia recente. Um dos principais refere-se à estratégia de alimentação da água residuária a ser tratada. Dessa forma, o projeto proposto terá como objetivo principal a avaliação operacional de reator anaeróbio operado em batelada alimentada sequencial contendo biomassa imobilizada, submetido a diferentes estratégias de alimentação. Logo, no início do ciclo o reator será alimentado com metade do volume da água residuária, em batelada, com o intuito de manter o leito de biomassa submerso durante todo o cicio, sendo posteriormente alimentado o restante da água residuária durante um período variado utilizando uma vazão constante, ou seja, em batelada alimentada. O substrato utilizado contém sacarose amido e celulose como fonte de carbono e energia com concentra ão de aproximadamente 500 m DQO/L. (AU)