Busca avançada
Ano de início
Entree

Preparação e avaliação de eletrocatalisadores suportados em nanotubos de carbono para a oxidação de metanol

Processo: 01/12169-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2002
Vigência (Término): 31 de julho de 2003
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Ernesto Rafael Gonzalez
Beneficiário:Marcelo Do Carmo
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/06430-8 - Eletrocatálise III: cinética e mecanismo de processos eletroquímicos de conversão e armazenamento de energia, AP.TEM
Assunto(s):Células de combustível   Metanol   Nanotubos   Geração de energia elétrica

Resumo

Durante as últimas décadas, a geração e o consumo de energia tem sido importantes problemas a serem resolvidos. A maioria dos métodos de geração de energia são poluidores e/ou ineficientes. Uma das possíveis soluções para estes problemas são as células a combustível, que além de serem não poluidoras, apresentam uma eficiência entre 45 - 50 % para a geração de eletricidade. Existe hoje um grande interesse nas células a combustível que operam com metanol. Entretanto, a reação de oxidação do metanol precisa ser catalisada, para que o rendimento das células que oxidam diretamente o metanol (DMFC), seja aceitável. Neste trabalho serão desenvolvidos anodos para DMFC com base em Pt, Ru ou Pt/Ru suportados em nanotubos de carbono. Este suporte é um material alternativo, produzido no país, que poderá substituir o pó de carbono (Vulcan XC-72) que é atualmente usado como suporte, que é um material importado sem similar nacional. Os materiais obtidos serão caracterizados fisicamente por EDX, MEV, DRX, MET. Os estudos eletroquímicos dos catalisadores dispersos serão realizados com a técnica do eletrodo de disco rotatório, e os processos superficiais e de oxidação do metanol, estudados por voltametria cíclica e cronoamperometria. Os catalisadores que apresentarem bons resultados serão testados em células a combustível unitárias operando com metanol. (AU)