Busca avançada
Ano de início
Entree

Os fundamentos da original Institutional Economics e o ressurgimento da controvérsia do Methodenstreit: uma reflexão sobre a herança historicista do institucionalismo e seus problemas

Processo: 00/01603-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2000
Vigência (Término): 31 de março de 2002
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Teoria Econômica
Pesquisador responsável:Leda Maria Paulani
Beneficiário:Rodrigo Alves Teixeira
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Economia institucional   Historicismo   Marxismo   Positivismo

Resumo

Pretende-se estudar o desenvolvimento recente da economia institucional enquanto um ressurgimento das questões sobre os fundamentos da ciência econômica que apareceram na controvérsia conhecida como Methodenstreit, há cerca de cem anos atrás, entre a escola marginalista austríaca e a Escola Histórica Alemã. Busca-se investigar em que medida as intervenções dos teóricos da econômia institucional, recente (Original Institutional Economics), resgatando idéias que surgiram com a Escola Histórica e o historicismo alemão do século XIX, apresentam uma proposta concreta capaz de fazer frente à ciência econômica convencional, que surgiu ligada à concepção positivista e ainda hoje não foge aos seus fundamentos básicos, particularmente pelo distanciamento entre sujeito e objeto. Para isto, busca-se ver se a economia institucional recente tem conseguido resolver um grande problema do historicismo, que surgiu na Escola Histórica e nos primeiros institucionalistas, como Veblen (e que os impediu de construir uma teoria econômica desenvolvida do capitalismo), que é a dificuldade de se construir teoria (para o que é preciso algum grau de generalização e abstração, pois a ciência busca regularidades), quando se destaca a importância das particularidades sócio-históricas e das instituições sociais, o que leva ao relativismo. O caminho seguido será partir do estudo dos pontos de contato entre marxismo e institucionalismo, pela comum percepção da interação entre sujeito e objeto. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
TEIXEIRA, Rodrigo Alves. Positivismo, historicismo e dialética na metodologia da economia. 2003. 133 f. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.