Busca avançada
Ano de início
Entree

Os herdeiros da reforma agrária

Processo: 98/14406-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 1999
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2003
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Rural
Pesquisador responsável:Margarida Maria Moura
Beneficiário:Maria Elena Miranda
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

O presente projeto tenta dar conta dos processos de (re)construção da condição camponesa no assentamento das Fazendas Reunidas, na cidade de Promissão, tomando como foco principal a questão da herança e das representações sobre a mesma entre os assentados. A possibilidade de herdar a terra pressupõe um projeto familiar de herança e um processo de socialização, ou ressocialização dos jovens ao modo de vida camponês, construindo, desta forma, o herdeiro. Os assentamentos rurais apresentam novidades em relação ao campesinato tradicional brasileiro. São áreas de repovoamento ou povoamento novo, criadas pela intervenção estatal, onde a vida social está por ser construída. É evidente que este campesinato assentado traz em sua bagagem cultural os habitus que lhes permitirão solucionar boa parte das questões que se colocam quanto a sua reprodução social. No entanto, novos caminhos estão sendo traçados como respostas aos problemas colocados pelo sistema capitalista de produção para estes sujeitos sociais. As cooperativas agropecuárias com beneficiamento industrial da produção são uma das possibilidades, entre outras. Mas estas não resolvem o problema da escassez de terras para as gerações futuras e, se a terra for dividida a todos os herdeiros conforme prevê o código civil, ela será insuficiente para a sobrevivência das famílias, obrigando os herdeiros a buscarem novas fontes de rendimento, como o assalariamento, por exemplo. (AU)