Busca avançada
Ano de início
Entree

A teoria do amadurecimento de D.W. Winnicott como teoria do acontecer humano

Processo: 02/05042-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2002
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Epistemologia
Pesquisador responsável:Zeljko Loparic
Beneficiário:Eder Soares Santos
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Paradigma

Resumo

I - A tese a ser desenvolvida tem por intenção dar prosseguimento aos resultados obtidos durante o mestrado (FAPESP, proc. nº 99/03890-8) e objetiva mostrar que a teoria do amadurecimento humano proposta por D. W. Winnicott no decorrer de toda a sua obra ajuda a esclarecer oticamente a idéia que Heidegger apresenta em Ser e Tempo de que o homem é um ser acontecente. Neste sentido, considera-se que a psicanálise de Winnicott consegue superar o naturalismo ainda presente na psicanálise tradicional (em especial, Freud e Klein). II - Oferecer uma possibilidade de fundamentação ontológica da psicanálise de Winnicott não mais baseada na metapsicologia (que, em última instância, significa dizer metafísica), mas sim erigida a partir da desconstrução desta no interior da analítica existencial de Heidegger. III - Usar as noções de Filosofia da Ciência de Thomas Kuhn como instrumento metodológico para a) analisar as mudanças existentes entre a psicanálise tradicional e a psicanálise de Winnicott e b) apontar os componentes ontológicos existentes entre a psicanálise winnicottiana e a filosofia de Heidegger. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SANTOS, Eder Soares. D. W. Winnicott e Heidegger : a teoria do amadurecimento pessoal e a acontecencia humana. 2006. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.