Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito agudo da insulina, T3 e sistema nervoso simpático na expressão do mRNA do GLUT4 in vivo

Processo: 02/00044-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2002
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2006
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ubiratan Fabres Machado
Beneficiário:Melissa Moreira Zanquetta
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/03514-3 - Regulação do transportador de glicose GLUT 4 no diabetes mellitus tipo 2: papel da resistência à insulina, AP.TEM
Assunto(s):Resistência à insulina   Jejum   Expressão gênica

Resumo

O domínio da expressão do gene do GLUT4 deverá gerar perspectivas importantes para abordagem dos estados de resistência à insulina. O jejum é um estado de resistência aguda à insulina, que acompanha-se de redução na expressão do gene do GLUT4, e a realimentação causa, também agudamente, uma superexpressão deste gene. Assim, essas condições representam modelos que poderão conduzir ao conhecimento de mecanismos reguladores do gene do GLUT4. Sabe-se que no jejum ocorre uma diminuição do tônus simpático, redução da desiodação de T4 a T3, além da redução das concentrações plasmáticas de substratos (glicose e aminoácidos) e do hormônio insulina. Por outro lado, a realimentação pós-jejum desencadeia uma reversão rápida e completa dos parâmetros característicos do estado de jejum. Assim, considerando que a realimentação aciona mecanismos metabólicos, endócrinos e neurais, o objetivo do presente estudo é investigar, em ratos submetidos a jejum de 48 h, o efeito: 1) da realimentação, com e sem bloqueio adrenérgico; 2) da injeção de T3, na ausência de realimentação; e 3) da injeção de insulina, com ou sem adição de glicose e mistura de aminoácidos. Nas condições experimentais descritas, será avaliado, em tecido muscular esquelético, o conteúdo de mRNA do GLUT4 (através de Northern blotting), assim como possíveis alterações pós-transcricionais que possam estar ocorrendo. (AU)