Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da participação do óxido nítrico (NO) no controle do desenvolvimento de Arabidopsis thaliana e no mecanismo de resistência a Pseudomonas syringae pv. maculicola: distinção entre a produção de NO pelas enzimas óxido nítrico sintase e nitrato redutase

Processo: 01/05613-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Pesquisador responsável:Ione Salgado
Beneficiário:Luzia Valentina Modolo
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fitopatógenos   Óxido nítrico sintase   Arabidopsis thaliana   Pseudomonas syringae   Desenvolvimento vegetal

Resumo

Em mamíferos, o óxido nítrico (NO) é produzido principalmente pela enzima óxido nítrico sintase (NOS), a partir da oxidação da L-arginina a L-citrulina. Em plantas, embora o gene para NOS não tenha ainda sido identificado, evidências recentes têm sugerido que os vegetais são capazes de expressar uma enzima do tipo NOS de mamíferos. O NO produzido de forma NOS-dependente tem sido implicado na ativação de defesas de plantas ao ataque de patógenos, bem como, em mecanismos de sinalização relacionados ao crescimento e desenvolvimento. Entretanto, nos vegetais, o NO pode também ser gerado através da atividade da enzima nitrato-redutase, como um produto secundário da assimilação de nitrogênio. O presente projeto de pesquisa pretende utilizar um mutante isogênico duplo nia1 nia2, defectivo para a enzima nitrato redutase, com o objetivo de identificar a produção de NO NOS-dependende, daquela gerada de forma NOS-independente em Arabidopsis thaliana. A produção de NO, a formação de nitrotirosina e a atividade e expressão da NOS serão comparadas entre o mutante e o tipo selvagem, na resposta de A. thaliana à infecção por Pseudomonas syringae pv. maculicola. Estes mesmos parâmetros serão também avaliados e comparados em diferentes tecidos e fases de desenvolvimento da planta selvagem e da mutante, com a finalidade de analisar o envolvimento da NOS no crescimento e desenvolvimento desta planta. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.