Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da evolução da forma do crânio na família Canidae (Mammalia: Carnivora), utilizando técnicas de morfometria geométrica

Processo: 01/09732-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de outubro de 2001
Vigência (Término): 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Erika Hingst-Zaher
Beneficiário:Erika Hingst-Zaher
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/07053-5 - Estudo da evolução da forma do crânio na família Canidae (Mammalia: Carnivora) utilizando técnicas de morfometria geométrica, AP.JP
Assunto(s):Crânio   Canidae   Morfometria   Ontogenia

Resumo

O projeto propõe a realização de um estudo da evolução da forma nos canídeos viventes, a partir de uma perspectiva filogenética, utilizando métodos de morfometria geométrica. Compreende assim três abordagens complementares da evolução da forma do crânio: a filogenia, a ontogenia e os aspectos adaptativos. A proposta descrita compõe-se de três partes principais: o contraste entre a filogenia proposta para o grupo e os resultados das análises morfométricas; a interpretação dos resultados obtidos em termos de limitações mecânicas ou adaptativas, e a comparação das trajetórias ontogenéticas do maior número de espécies possível, na tentativa de detectar processos heterocrônicos responsáveis pela diferenciação morfológica dentro do grupo. O trabalho terá como decorrência importante a estruturação de um laboratório completo de morfometria geométrica no MZUSP. Para atingir os objetivos propostos, proponho a descrição em termos quantitativos de estruturas cranianas e pós-cranianas do maior número possível de espécies de canídeos viventes, bem como a inclusão de alguns gêneros fósseis. Além disso, serão incluídos nas amostras exemplares juvenis, permitindo a comparação das trajetórias ontogenéticas e a detecção de eventuais processos heterocrônicos subjacentes à diferenciação morfológica do grupo. (AU)