Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da participação das diferentes células da imunidade inata na resistência conferida por Artin-M na fase aguda da listeriose murina

Processo: 08/54796-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2008
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Marina Cavalcanti de Albuquerque da Veiga Conrado
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/60642-2 - Efeitos biológicos e aplicações farmacêuticas de lectinas, AP.TEM
Assunto(s):Imunidade inata   Listeria monocytogenes   Listeriose

Resumo

Ao interagir com glicanas de receptores da superfície celular, a lectina Artin M desencadeia respostas como migração de neutrófilos, desgranulação de mastócitos, indução da produção de IL-12 por macrófagos (Mø) e células dendríticas (DCs) potencializando a resposta imune inata e propiciando desenvolvimento de resposta de padrão Th1, conferindo resistência às infecções, por diversos patógenos intracelulares, como espécies do gênero Leishmania e o fungo Paracoccidioides brasiliensis. Recentemente, o modelo murino de infecção aguda por Listeria monocytogenes foi utilizado por nosso grupo para avaliar a interferência exercida por Artin M nos mecanismos da imunidade inata responsável pela proteção contra a listeriose. Constatamos que todos os camundongos submetidos à Artin M sobreviveram à infecção por L. monocytogenes; contrastando com o índice de 100% de mortalidade atingido, em 4 dias, pelos camundongos não tratados. Esse fato associou-se a menor recuperação bacteriana no baço e no fígado, detecção de abscessos hepáticos menores, e maior produção de IL-12, IFN-g, TNF-a e oxido nítrico, nos períodos iniciais da infecção. Planejamos agora identificar - dentre Mø, células NK, DCs e neutrófilos - as células alvos do reconhecimento por Artin M e as respostas desencadeadas, capazes de gerar proteção contra a listeriose murina. A expectativa é de que o modelo da listeriose murina permita o conhecimento de atividades exercidas por Artin M sobre a imunidade se amplie, podendo revelar novas aplicações de Artin M, constituindo uma alternativa terapêutica contra infecções de curso agudo, cuja resolução dependa da rápida ativação de certos mecanismos inatos da imunidade. (AU)