Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos toxicológicos de princípios ativos inseticidas em formigas cortadeiras (Hymenoptera, Formicidae)

Processo: 99/07691-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2000
Vigência (Término): 30 de abril de 2003
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Luiz Carlos Forti
Beneficiário:Nilson Satoru Nagamoto
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Formigas cortadeiras   Controle químico

Resumo

O controle químico das formigas cortadeiras (Atta spp. e Acromyrmex spp.) é baseado em conhecimentos que em considerável proporção são superficiais ou empíricos, sendo que a eficiência de cada método depende fundamentalmente do princípio ativo empregado na formulação. Os estudos que tem sido realizados para determinar quais seriam as características necessárias para que um dado princípio ativo seja adequado para cada formulação utilizada no controle das formigas cortadeiras ainda são insuficientes. Tendo em vista essa situação, pretende-se: a) realizar estudos para aperfeiçoar a metodologia de seleção de princípios ativos para iscas tóxicas; b) investigar as principais formas de ação dos compostos sobre as formigas cortadeiras e c) verificar a possibilidade de se utilizar compostos alternativos de menor impacto ambiental como substitutos aos princípios ativos convencionais de ação retardada na formulação de iscas tóxicas. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NAGAMOTO, Nilson Satoru. Estudos toxicológicos de princípios ativos utilizando como modelo Atta sexdens rubropilosa (Hymenoptera, formicidae). 2003. 234 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciencias Agronomicas (Campus de Botucatu)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.