Busca avançada
Ano de início
Entree

Translocacoes cromossomicas analisadas por hibridacao "in situ" fluorescente (fish) em individuos expostos ao cesio-137, dez anos apos o acidente de goiania, go.

Processo: 98/02623-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 1998
Vigência (Término): 30 de setembro de 2000
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Elza Tiemi Sakamoto Hojo
Beneficiário:Marjori Leiva Camparoto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Radiação ionizante   Peixes   Aberrações cromossômicas

Resumo

Segundo os dados de uma extensa literatura, as radiações ionizantes induzem danos cromossômicos, sendo que alguns tipos podem perpetuar por vários anos após a exposição, acarretando vários tipos de anormalidades e abortos espontâneos no homem, bem como neoplasias. Assim, é de fundamental importância a análise das aberrações cromossômicas em casos de exposição aguda, como o ocorrido no acidente com o 137Césio em Goiânia, em setembro de 1987, no qual mais de 100 indivíduos foram expostos, com contaminação externa e/ou interna. Segundo os dados de dosimetria biológica realizada na época por Ramalho et al: (1990), 29 pessoas foram expostas a doses acima de 0,5 Gy (até 7,0 Gy). Após uma década do acidente com o 137Césio, o presente trabalho propõe um estudo citogenético em linfócitos de uma amostra de indivíduos expostos ao Cs-137, que consiste na análise das aberrações cromossômicas estáveis (translocações), bem como de rearranjos em pontos de quebras associados a sítios específicos já descritos em certos tipos de leucemia, que é um câncer de incidência aumentada, conforme constatado principalmente nos sobreviventes da bomba atômica no Japão. Para a detecção de translocações cromossômicas em indivíduos expostos ao 137Cs no acidente de Goiânia, serão utilizados dois tipos de sondas: 1) bibliotecas de DNA para os cromossomos 1, 15 e X com a aplicação do método de hibridação in situ fluorescente (FISH); 2) sondas (pHUR) aplicando-se o mesmo método, mas com diferentes fluorocromos (FISH multicores). As translocações serão analisadas em preparações metafásicas, submetidas ao método de FISH, em amostras de sangue de no mínimo 10 indivíduos vítimas do acidente em Goiânia e possivelmente dos filhos de alguns destes. Paralelamente, serão analisados os respectivos controles (indivíduos não-expostos), sendo que algumas culturas de linfócitos desses indivíduos serão irradiadas com 1, 2 e 3 Gy para atuarem como controle positivo (para efeito de comparação). A análise das freqüências de rearranjos cromossômicos em indivíduos expostos ao Césio-137, sem dúvida, poderá fornecer uma importante contribuição para a estimativa de risco ao câncer rádio-induzido. (AU)