Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação artificial da diferenciação neuronal e função de receptores por oligonucleotídeos sintéticos atuantes aos níveis gênico e proteico

Processo: 02/01290-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de abril de 2002
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Marcella Barbosa Faria de Almeida Prado
Beneficiário:Marcella Barbosa Faria de Almeida Prado
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/08827-4 - Modulação artificial da diferenciação neuronal e função de receptores por oligonucleotídeos sintéticos atuantes aos níveis gênico e protéico, AP.JP
Assunto(s):Aptâmeros de nucleotídeos   Diferenciação neuronal   Marcador molecular   Interferência de RNA   Receptores purinérgicos

Resumo

A linhagem P19 derivada de teratocarcínoma murino será utilizada como modelo de diferenciação neuronal in vitro. Mediante tratamento com agentes químicos em protolos bem estabelecidos, tais células expressam (com cinéticas definidas) uma variedade de marcadores moleculares de diferenciação neuronal e comportam-se como neurônios em ensaios de eletrofisiologia. Estaremos particularmente interessados em caracterizar o mecanismo de ação de receptores purinérgicos de tipo P2X e P2V recentemente implicados no desenvolvimento neuronal e funcionamento normal do sistema nervoso. Técnicas de eletrofisiologia de cinética rápida serão utilizadas para determinarmos os passos de velocidade envolvidos na ativação dos receptores em presença de agonistas inertes ativáveis, e o uso de inibidores genéricos nos permitirá caracterizar os sítios regulatórios constituintes dos diferentes subtipos de receptor purinérgico. Tais informações nos permitirão estabelecer protocolos para seleção de aptâmeros de RNA a partir de bibliotecas combinatórias. O potencial da técnica de interferência de RNA (RNAi) como forma de silenciar especificamente os genes de receptores purinérgicos será testado nessa linhagem, e caso o mecanismo de degradação de mensageiros conservado em uma série de sistema esteja presente nas células P19, tal estratégia será usada para produzir knock-outs funcionais para os receptores purinérgicos. Em um segundo momento, aptâmeros e RNAs dupla-fita serão ministrados a células em cultura em diferentes tempos do processo de diferenciação neuronal. De Tal forma, poderemos avaliar o papel dos receptores purinérgicos em tal processo. (AU)