Busca avançada
Ano de início
Entree

O transcendental e a ética no pensamento do primeiro Wittgenstein

Processo: 00/02998-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2000
Vigência (Término): 31 de maio de 2003
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Jose Oscar de Almeida Marques
Beneficiário:Fernando Scherer
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Ética (filosofia)   Lógica (filosofia)   Linguagem

Resumo

A questão ética no TRACTATUS LOGICO-PHILOSOPHICUS começou a ser estudada com mais freqüência na década de setenta, quando as proposições finais - "proposições esquecidas" - foram redimensionadas por meio de interpretações denominadas comumente de "éticas". Esse paradigma de leitura possui um marco histórico. Ele tem início a partir da publicação, feita tardiamente, dos manuscritos de Wittgenstein que dão maior destaque à ética, tais como a Conferência de Ética (1965), os Notebooks (1961) e a Carta a Ludwig von Ficker (década de sessenta). Nesse contexto de uma "leitura ética" do TRACTATUS, pretendemos abordar o problema, no que toca ao significado do termo "transcendental" no âmbito da ética, que se apresenta na medida em que Wittgenstein concebe que tanto a forma lógica quanto a ética não podem ser ditas, pois apenas se mostram. Porém, o mostrar-se da forma lógica difere do mostrar-se da ética: o primeiro se mostra no mundo com necessidade lógica, enquanto que o segundo não trata do mundo, mas dos limites do mundo e se mostra neles. O mostrar-se da ética não se dá de forma necessária ou determinada como o da lógica. No entanto, Wittgenstein denomina a lógica e a ética de "transcendentais". Sendo assim, parece que pelo fato do "transcendental" no plano da ética não apresentar um caráter de necessidade, ele se diferencia dos demais usos desse conceito, apresentando-se, dessa forma, como um problema a ser explorado. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SCHERER, Fernando. O transcendental e a etica no pensamento primeiro Wittgenstein. 2003. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.