Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel dos genes supressores de tumor RECK e p53 na reversão fenotípica tumoral-normal induzida por hormônios glicocorticóides em células ST1 de glioma de rato

Processo: 01/12286-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2002
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Mari Cleide Sogayar
Beneficiário:Antero Ferreira de Almeida Macedo
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:95/09344-4 - Ataque molecular ao controle da proliferação celular e origem de neoplasias, AP.TEM

Resumo

Hormônios glicocorticóides (GCs) atuam como moduladores da proliferação celular e como agentes anti-tumorais, sendo utilizados na quimioterapia de gliomas e glioblastomas. Com o objetivo de estudar as bases moleculares da ação anti-tumoral de GCs, temos utilizado o modelo celular ST1, um variante da linhagem C6 de glioma de rato, o qual é hiper-responsivo a GCs, apresentando uma dramática reversão fenotípica (de tumoral para normal) induzida pelo tratamento hormonal. O receptor de GCs (GR) atua como fator de transcrição, modulando a expressão gênica no núcleo. O gene supressor de tumor p53 é um fator de transcrição que está envolvido no controle do ciclo celular, reparo de DNA e apoptose. GR interage com p53, resultando em mútua inativação destas proteínas por seqüestro do complexo no citoplasma. O gene supressor de tumor e de metástase RECK é inibido pelo produto do oncogene ras via sítios Sp1 em seu promotor. A interação entre p53 e Sp1 é bem descrita, havendo, no promotor de RECK, seqüências de grande similaridade à seqüência consenso de ligação a p53, portanto, p53 pode ser uma proteína reguladora de RECK. O objetivo geral deste projeto é investigar o papel dos genes supressores de tumor p53 e RECK na reversão fenotípica de células ST1 mediada por GCs e analisar a regulação de expressão do gene RECK por p53. Os resultados obtidos poderão contribuir para o desenho de novas estratégias de geneterapia de glioblastomas. (AU)