Busca avançada
Ano de início
Entree

A usina hidreletrica de porto primavera e a nova porto xv (ms): um estudo da percepcao dos atingidos por barragem.

Processo: 96/02123-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 1996
Vigência (Término): 31 de maio de 1998
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Lucy Marion Calderini Philadelpho Machado
Beneficiário:Vera Lucia dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Impactos sociais

Resumo

O presente projeto de pesquisa traz como proposta principal realizar um estudo sobre Percepção do Meio Ambiente, tendo como objetivo estudar, perceptivamente, um grupo de moradores atingidos pela construção de uma Usina Hidrelétrica. A Usina de Porto Primavera, localizada no Rio Paraná, é considerada a quarta maior do país, possuindo 18 conjuntos geradores de 100 WM cada, básicos para o abastecimento de uma região de 7 milhões e 200 mil habitantes. Seu reservatório é equivalente ali vezes a Baía de Guanabara, abrangendo uma área de 225 mil hectares, sendo responsável pela inundação de terras pertencentes aos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Obviamente, tal construção acarreta em uma série de impactos naturais, sociais e econômicos, sendo que torna-se necessário um planejamento envolvendo uma série de profissionais, visando amenizar tais impactos. Um dos municípios atingidos pela construção da barragem chama-se Bataguassu, localizado no Estado de Mato Grosso do Sul, onde encontrasse o distrito denominado Porto XV, onde residia uma população de aproximadamente 1300 pessoas, que viviam basicamente da pesca (no Rio Paraná), construção de cerâmica e agricultura de subsistência. Essas pessoas, diante da previsão do total desaparecimento do antigo vilarejo, estão sendo removidas para uma nova cidade, totalmente planejada pelos técnicos da CESP (Companhia Energética do Estado de São Paulo), cujo nome é Nova Porto XV. Diante de tal situação, ou seja, mudança brusca de lugar, certamente essas pessoas atingidas enfrentarão problemas de adaptação, uma vez que,-a antiga Porto XV, embora carente de recursos financeiros, foi o lugar que essas pessoas escolheram espontaneamente para viver. Não entendesse lugar apenas como um espaço físico ocupado, mas sim como a expressão mais clara de sentimentos, experiências e apego. Daí a necessidade de realizar um estudo de como essas pessoas estão enfrentando tal situação, visando colaborar de alguma forma, com o aprimoramento entre os diversos profissionais da CESP e a população envolvida. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)