Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema reprodutivo e estrutura genética de uma população de Calophyllum brasiliense Camb. (Clusiaceae) em mata de galeria

Processo: 96/03655-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 1996
Vigência (Término): 31 de julho de 1998
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Paulo Yoshio Kageyama
Beneficiário:Cristina Borges Kawaguici
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade   Diversidade genética   Florestas tropicais

Resumo

Atualmente, a floresta tropical tem sofrido com a ação pertubadora de atividades antrópicas, principalmente agropastoris. Com isso, as florestas nativas restantes encontram-se em fragmentos de vários tamanhos cercados de ecossistemas degradados, tomando necessários estudos intensivos dos ecossistemas que ainda restam, se é desejada a conservação destes para futuras gerações. Principalmente em matas de galeria, encontradas à margem de rios e demais corpos de água, pois estes ambientes são de grande importância para a preservação de mananciais. Como não é possível estudar os fatores genéticos envolvidos na conservação para todas as espécies, tem-se para este estudo a escolha de uma espécie, que possa servir como modelo para outras similares e de mesma importância. Desta forma, propõe-se estudar através da técnica de eletroforese em gel de amido para sistemas isoenzimáticos, a variação genética de uma população de Calophyllum brasiliense Camb. localizada em Mata de Galeria na Estação Ecológica do Panga, Uberlândia (MG). Calophyttitin brasiliense é uma espécie de ampla distribuição geográfica, característica e exclusiva de solos úmidos e brejosos e de distribuição agregada. O principal objetivo deste trabalho, consiste no estudo do sistema reprodutivo desta espécie, através do métoda de isoenzimas, e no estudo da estrutura genética de uma população, analizando as variações genéticas, o coeficiente de endogamia e a auto-correlação genética entre indivíduos. Estas informações poderão contribuir para o conhecimento de estratégias de conservação dessas comunidades e assim inferir corretamente sobre métodos de manejo a serem aplicados para a conservação da floresta tropical. (AU)