Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudanças no uso e cobertura do solo na fronteira agrícola da Amazônia Ocidental, bacia do Ji-Paraná - Rondônia

Processo: 01/11064-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2002
Vigência (Término): 30 de setembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Maria Victoria Ramos Ballester
Beneficiário:Lais de Carvalho Hanada
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/01159-4 - Alterações na dinâmica da matéria orgânica em rios de micro e meso-escala do estado de Rondônia, em função de mudanças no uso da terra, AP.TEM
Assunto(s):Sensoriamento remoto   Desmatamento   Geoprocessamento   Rondônia

Resumo

O uso e a cobertura do solo têm um papel fundamental no delineamento do ambiente em escalas global, regional e local. Mudanças no uso e cobertura do solo influenciam a diversidade biológica (Sala, 2000), o clima (Gash, 1996) e os ciclos biogeoquímicos e da água (Meixner & Eugster, 1999). Na Amazônia Brasileira, maior área continua de floresta tropical do planeta, tem sido marcante a conversão de áreas de vegetação nativa em áreas agrícolas. Estimativas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apontam que o ritmo de desmatamento na Amazônia Brasileira cresceu 14,9% no período de um ano, entre agosto de 1999 e agosto de 2000, o que representa a devastação de 19.832 Km2. Dessa forma, o desflorestamento na mesma já atinge mais de 589 mil Km2 (Brasil, 2001), área superior ao Estado da Bahia. Portanto, o objetivo deste projeto será conhecer o histórico de uso da terra na Bacia do Rio Ji-Paraná, onde as propriedades biogeoquímicas estão sendo avaliadas no projeto temático "Alterações na dinâmica da matéria orgânica em rios de micro e meso-escala do Estado de Rondônia, em função de mudanças no uso da terra" (FAPESP-Proc. Núm. 99/01159-4), verificando a importância dos fatores físicos e antrópicos na distribuição espacial do desmatamento na região. (AU)