Busca avançada
Ano de início
Entree

Reestruturação agroindustrial e mudança institucional: novas oportunidades e instabilidade na rede de poder sucroalcooleira paulista

Processo: 01/10971-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2002
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Sociologia Rural
Pesquisador responsável:Luiz Fernando de Oriani e Paulillo
Beneficiário:Fabiana Ortiz Tanoue de Mello
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Negociação

Resumo

O complexo sucroalcooleiro brasileiro foi um dos mais controlados pelo Estado, sendo esse modo de regulação estatal responsável pelo desenvolvimento sucroalcooleiro do país. Apesar das decisões estarem centralizadas nas mãos do Estado, estabeleceu-se um processo de interação política e econômica entre os diversos atores sucroalcooleiros privados e o aparelho do Estado no processo de formulação e implementação das políticas públicas. Portanto, mais do que um complexo agroindustrial pautado em relações tecnológicas e produtivas, o setor desenvolveu-se como uma rede de poder, onde os interesses econômicos e políticos foram orquestrados. A partir dos anos 90, com o processo de desregulamentação, altera-se o ambiente institucional até então vigente, extinguindo regras e normas que vigoravam há mais de 50 anos e criando outras, exigindo dos atores sucroalcooleiros a adaptação a uma nova estrutura de governança (a auto-regulação). Isso significou uma drástica mudança na forma de organização, mobilização e representação de interesses dos atores desse complexo. O presente trabalho insere-se nesta temática de reestruturação agroindustrial, objetivando verificar se os atores da nova rede de poder sucroalcooleira paulista desenvolveram capacidade de articulação e coordenação após a desregulamentação estatal. Diante ria nova estrutura de governança, pretende-se identificar a existência ou não da estabilidade institucional na rede de poder sucroalcooleira paulista. (AU)