Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma prática de assistência a infância órfã e exposta: o acolhimento domiciliar na Cidade de São Paulo (1765-1824)

Processo: 02/06075-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2002
Vigência (Término): 31 de julho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Leila Mezan Algranti
Beneficiário:Alessandra Zorzetto Moreno
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Orfãos   Religiosidade   Assistência domiciliar   Infância

Resumo

A problemática central desta pesquisa é analisar o acolhimento domiciliar de expostos e órfãos na São Paulo colonial, entre 1765 e 1824. Por meio de testamentos, inventários e documentação dos juízes de órfãos da capital, procuraremos entender o significado social e familiar do acolhimento, buscando delinear as relações de afeto, solidariedade, exploração ou violência existentes entre as crianças e os receptores. Como fontes auxiliares, usaremos listas nominativas da população paulistana, legislação civil e eclesiástica bem como livros de memórias que se preocuparam com os expostos e os órfãos. Por meio destas fontes, pretendemos complementar nosso entendimento sobre as crianças e os domicílios que as acolhiam, além de identificar as opiniões das autoridades e dos memorialistas acerca da assistência domiciliar, da criação infantil, dos relacionamentos familiares e, mais especificamente, do tratamento a ser dado a expostos e órfãos. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MORENO, Alessandra Zorzetto. Vivendo em lares alheios : acolhimento domiciliar, criação e adoção na cidade de São Paulo (1765-1822). 2007. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia Ciências e Humanas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.