Busca avançada
Ano de início
Entree

Etnosilvicultura Kayabi no Parque Indígena do Xingu, Estado do Mato Grosso: subsídios ao manejo dos recursos florestais

Processo: 97/09496-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 1998
Vigência (Término): 31 de julho de 2000
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Virgilio Mauricio Viana
Beneficiário:Marcus Vinicius Chamon Schmidt
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Amazônia

Resumo

Os índios Kayabi representam, dentre as etnias que habitam o interior do Parque indígena do Xingu-MT (PIX), a mais populosa. Sua estratégia de utilização do ambiente constitui-se no uso múltipo de recursos florestais e na complementaridade ecológica, obtendo uma diversificação da produtividade a um baixo impacto ambiental. Constantes pressões políticas e econômicas, somadas às frentes de colonização no interior do Brasil, vem modificando suas formas de manejo de recursos naturais tradicionais, incorporando novos valores a estas populações, que buscam um desenvolvimento econômico para garantir suas novas necessidades de consumo influenciadas pela sociedade moderna. Na busca de novas propostas de desenvolvimento, as alternativas deverão contemplar as necessidades econômicas, a permanência da estrutura social política e cultural e as potencialidades ecológicas de sua área tradicional, considerando as suas próprias prioridades. Esta pesquisa tem por objetivo realizar um levantamento etnosilvicultural participativo, na área Kayabi dos recursos florestais utilizados tradicionalmente pela população e com potencial de produção comercial, Serão utilizados métodos de levantamento qualitativo e quantitativo, para a caracterização do ambiente natural por esta comunidade, em ecozonas, tipos florestais, usos das espécies vegetais (categorias êmicas), bem como as formas de manipulação e manejo do ambiente. Estes dados etnobotânicos serão relacionados com os métodos de classificação do ambiente utilizados nas pesquisas convencionais (categorias éticas), como imagens de satélite, a identificação e quantificação de espécies potenciais para o manejo de recursos florestais, obtendo um mapeamento da vegetação os resultados deverão indicar capacidade produtiva deste ecossistema indicando as espécies com potencial para um manejo florestal apropriado em termos sócio-ambiental. (AU)