Busca avançada
Ano de início
Entree

Virus da leprose dos citrus:sequenciamento do genoma, diversidade genetica e avaliacao de orfs potencialmente relacionadas com a patogenicidade.

Processo: 03/05307-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2003
Vigência (Término): 30 de novembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Marcos Antonio Machado
Beneficiário:Eliane Cristina Locali
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Genoma viral   Caracterização molecular

Resumo

O vírus associado à leprose dos citros (CiLV) e aos ácaros do gênero Brevipalpus são supostamente pertencentes à família Rhabdoviridae, porém de partículas mais curtas do tipo nuclear e do tipo citoplasmático. Considerado um vírus incomum, pois além de não ser sistêmico, provoca lesões locais e apresenta baixo título nas plantas hospedeiras, não permitiu até o momento sua completa purificação e caracterização. Baseado na construção de biblioteca de cDNA a partir de moléculas de dsRNA associadas ao vírus da leprose, este trabalho tem como objetivo seqüenciar o genoma do vírus, possibilitar sua real classificação, realizar uma análise comparativa de regiões genômicas do CiLV com outros virus transmitidos por Brevipalpus sp. como Orchid fleck virus (OFV) e Coffee ringspot virus (CoRSV) a fim de proporcionar uma análise comparativa entre vírus classificados como rhabdovírus tentativos. O trabalho objetiva também a identificação e caracterização de ORF(s) envolvida(s) na indução de sintomas (patogenicidade), tanto em plantas de citros e quanto em hospedeiras experimentais, através da técnica de expressão transiente por agroinoculação. Além dos objetivos acima, o projeto propõe ainda avaliar por SSCP (Single Strand Conformation Polymorphism), utilizando "primers" específicos para regiões da replicase e da proteína de movimento, a diversidade genética de haplótipos de CiLV em isolados de diferentes variedades de citros dentro e fora do Estado de São Paulo. (AU)