Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo para a obtenção de produtos naturais bioativos a partir de plantas

Processo: 03/12588-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2004
Vigência (Término): 30 de setembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Paulo Cézar Vieira
Beneficiário:Richele Priscila Severino
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14138-2 - Center for Structural Molecular Biotechnology, AP.CEPID
Assunto(s):Plantas   Produtos naturais

Resumo

Os vegetais são fontes de substâncias com grande variedade estrutural e com alto potencial farmacológico, sendo as plantas da ordem Rutales muito promissoras. O progresso da biologia celular e da farmacologia molecular deu um impulso importante para o desenvolvimento de testes biológicos baseados no mecanismo de ação de algumas enzimas. As cisteíno-proteases são essenciais ao ciclo de vida de muitos protozoários patogênicos, sendo as cruzipaínas um grupo de cisteíno-proteases majoritárias no parasita Trypanosoma cruzi e foram identificadas como um promissor alvo terapêutico para o tratamento da Doença de Chagas. Existe um grande interesse em caracterizar as cisteíno-proteases lisossomais (catepsinas B, H, L, S, C, K, O, F, V, X e W) para confirmar o seu envolvimento em importantes processos celulares, pois além do seu papel fisiológico normal, as cisteíno-peptidases lisossomais estão envolvidas em inúmeros processos patológicos como na progressão de tumores malignos, distrofia muscular, artrite reumatóide, osteoporose e doença de Alzheimer. A xylellaína, uma cisteíno-protease, é uma das principais enzimas envolvidas no processo de invasão da Xylella fastidiosa. Essa enzima é responsável pela destruição da parede celular do vegetal, o que lhe confere a patogenicidade. Neste projeto propõe-se a busca de produtos naturais inibidores específicos de enzimas, mais especificamente de GAPDH e cruzipaínas de T. cruzi, catepsinas lisossomais (K, S e L) e xylellaína. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.