Busca avançada
Ano de início
Entree

Formacao do romance: um dialogo entre henry fielding e manuel antonio de almeida.

Processo: 03/08610-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2003
Vigência (Término): 30 de setembro de 2005
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literatura Comparada
Pesquisador responsável:Sandra Guardini Teixeira Vasconcelos
Beneficiário:Gabriela Hatsue Yuasa Azeka
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/08710-2 - Caminhos do romance no Brasil - séculos XVIII e XIX, AP.TEM

Resumo

Nossa pesquisa tem por objetivo discutir as "Memórias de Um Sargento de Milícias" (1852-53), a partir de suas relações com o modelo narrativo inglês corporificado por "Tom Jones" (1749), de Henry Fielding. Para tanto, propomos levantar tanto os pontos de contato entre as duas obras, como também os aspectos em que uma diverge da outra. Trata-se de estabelecer um diálogo entre os dois romancistas, do ponto de vista do modelo narrativo por ambos desenvolvido em meio ao processo de formação do gênero em seus respectivos contextos histórico-geográficos. A hipótese que norteia essa proposta é que Manuel Antônio de Almeida, por estar imerso na atmosfera de formação cultural e literária do Brasil em meados do século XIX, onde a produção européia é tida como referencial, "responde" ao paradigma estabelecido por Fielding pelo menos cem anos antes e, portanto, pode perfeitamente ser abordado sob a perspectiva da literatura comparada a partir de um modelo estrangeiro. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
AZEKA, Gabriela Hatsue Yuasa. "Um enjeitado e um sargento de milícias: formação do indivíduo e do romance". 2006. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.