Busca avançada
Ano de início
Entree

Estruturas secretoras em órgãos vegetativos e reprodutivos de espécies de Anacardiaceae do Cerrado do estado de São Paulo: anatomia, histoquímica e ultra-estrutura

Processo: 03/13556-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2004
Vigência (Término): 31 de agosto de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Sandra Maria Carmello-Guerreiro
Beneficiário:Ana Paula Stechhahn Lacchia
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/12469-3 - Estudos morfológicos, anatômicos, histoquímicos e ultra-estruturais em plantas do Cerrado (Senso lato) do estado de São Paulo, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Estruturas secretoras em plantas   Histoquímica vegetal   Reprodução vegetal   Anacardiaceae

Resumo

Uma característica muito importante da família Anacardiaceae é a presença de canais secretores que podem ser encontrados nas partes vegetativas e reprodutivas. O material secretado por espécies desta família e por outras espécies encontradas no Cerrado tem reconhecido valor biológico, medicinal e econômico, justificando a proposta de investigações que caracteriza em a morfologia das estruturas secretoras, a composição química do exsudado e a ultra-estrutura das células secretoras. Vinculado ao projeto temático que vem estudando as plantas de Cerrado (BIOTA/FAPESP proc. 00/12469-3), o presente projeto tem como material de estudo duas espécies de Anacardiacea muito representativas para o Cerrado: Tapirira guianensis e Anacardium humile. Este projeto tem como objetivo estudar estruturalmente, histoquímicamente e ultra-estruturalmente as estruturas secretoras presentes nos órgãos vegetativos (ápices caulinares e folhas) e nos órgãos reprodutivos (flores e frutos) de Anacardium humile, bem como, analisar ultra-estruturalmente o disco glandular presente no fruto de Tapirira guianensis. O resultado destas investigações será somado aos resultados já obtidos no mestrado para o órgão vegetativos e reprodutivos de Lithraea molleoides e Tapirira guianens. Estas investigações poderão acrescentar importantes informações, para o estudo das estruturas secretoras, que em Anacardiaceae é sempre muito restrito aos canais secretores. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ELISABETH EMILIA AUGUSTA DANTAS TÖLKE; ANA PAULA STECHHAHN LACCHIA; DIEGO DEMARCO; SANDRA MARIA CARMELLO-GUERREIRO. Pericarp ontogeny of Tapirira guianensis Aubl. (Anacardiaceae) reveals a secretory endocarp in young stage. Acta Botanica Brasilica, v. 31, n. 3, p. 319-329, Set. 2017. Citações Web of Science: 2.
STECHHAHN LACCHIA, ANA PAULA; DANTAS TOLKE, ELISABETH E. A.; CARMELLO-GUERREIRO, SANDRA M.; ASCENSAO, LIA; DEMARCO, DIEGO. Foliar colleters in Anacardiaceae: first report for the family. BOTANY, v. 94, n. 5, p. 337-346, MAY 2016. Citações Web of Science: 7.
ANA PAULA STECHHAHN LACCHIA; ELISABETH EMILIA AUGUSTA DANTAS TÖLKE; DIEGO DEMARCO; SANDRA MARIA CARMELLO-GUERREIRO. Presumed domatia are actually extrafloral nectaries on leaves of Anacardium humile (Anacardiaceae). Rodriguésia, v. 67, n. 1, p. 19-28, Mar. 2016.
ANA PAULA STECHHAHN LACCHIA; SANDRA MARIA CARMELLO GUERREIRO. Aspectos ultra-estruturais dos canais secretores em órgãos vegetativos e reprodutivos de Anacardiaceae. Acta Botanica Brasilica, v. 23, n. 2, p. 376-388, Jun. 2009.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LACCHIA, Ana Paula Stechhahn. Estruturas secretoras em orgãos vegetativos e reprodutivos de espécies de Anacardiaceae: anatomia, histoquímica e ultra-estrutura. 2006. 262 f. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia Campinas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.