Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre o estado nutricional da vitamina de síndrome metabólica em adultos e idosos

Processo: 08/51531-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Ligia Araujo Martini
Beneficiário:Natielen Jacques Schuch
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Adultos   Vitamina D   Paratormônio   Obesidade   Síndrome metabólica

Resumo

Evidências recentes têm sugerido o envolvimento da vitamina D em diversas doenças crônicas não transmissíveis, dentre estas a Síndrome Metabólica. Estudos recentes mostram presença de hipovitaminose D em vários estágios de vida, mesmo em países ensolarados. Em nosso meio, a presença de hipovitaminose D foi observada em 59% de adolescentes saudáveis e em 80% de mulheres na pós menopausa. A prevalência de Síndrome Metabólica no Brasil não é totalmente estabelecida, porém estudos isolados mostram que vaira de 10% em homens jovens a 47% em descendentes de japoneses. Em 2005 Ford e cols, avaliando dados do NHANES III encontraram níveis de vitamina D sérica significantemente menores em indivíduos que apresentavam Síndrome Metabólica. Diversos são os mecanismos fisiopatológicos da vitamina D nos componentes da síndrome metabólica. Em obesos as alterações do sistema endócrino da vitamina D, caracterizada por elevados níveis de PTH e da forma ativa da vitamina D são responsáveis pelo feedback negativo a síntese hepática de 25-OHD3. A deficiência desta pode dificultar a capacidade das células beta na conversão da proinsulina a insulina. Na hipertensão a vitamina D pode atuar via sistema renina-angiotensina e também na função vascular. Assim, o objetivo do presente estudo é investigar a associação entre deficiência de vitamina D, e os componentes da Síndrome Metabólica em indivíduos participantes de um estudo de base populacional sobre dieta e condições de vida (ISA-SP). Serão investigados 800 indivíduos com mais de 18 anos, de acordo com o tamanho amostral previsto para a 2a fase do estudo da dieta do ISA-Capital. Serão realizados: avaliação da ingestão alimentar através do Recordatório de 24h; da composição corporal pela impedância bioelétrica e circunferências; da vitamina D sérica, paratormônio intacto, colesterol total e frações, triacilgliceróis e glicemia de jejum; e também aferição da pressão arterial. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.