Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de inomogeneidades na resposta magnética de supercondutores: linha de irreversibilidade e o efeito Meissner paramagnético

Processo: 04/00680-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2004
Vigência (Término): 31 de outubro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Wilson Aires Ortiz
Beneficiário:Ana Augusta Mendonça de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Materiais supercondutores   Supercondutividade   Vórtices

Resumo

Este projeto trata de dois fenômenos característicos de supercondutores: a fusão da rede de vórtices, delimitada pela linha de irreversibilidade (LI) no diagrama H-T da MV, e o efeito Meissner paramagnético (EMP), que decorre do aprisionamento de vórtices por superfícies multiplamente conexas. Em ambos os casos, a resposta da MV a excitações externas é fortemente afetada pelas inomogeneidades do ambiente em que coexiste. A despeito do esforço teórico e experimental que tem sido feito por diversos grupos, cabem ainda estudos sistemáticos desses dois problemas, que permitam reconhecer o que há de intrínseco ou extrínseco em cada um dos fenômenos. A aparente equivalência entre aplicar um campo transverso e remover oxigênio em filmes e monocristais de YBCO e de BSCCO será estudada experimentalmente mediante o uso de uma variedade de métodos experimentais: temperatura de irreversibilidade entre as magnetizações FC e ZFC, campo de irreversibilidade em laços de histerese isotérmicos e a anomalia do terceiro harmônico da suscetibilidade AC. Adicionalmente, vamos trabalhar na determinação da Ll de filmes de MgB2 utilizando os mesmos métodos experimentais. Será também explorada a robustez de nossa observação recente de que o EMP, usualmente associado a uma anomalia na magnetização FC, teria também uma manifestação típica em curvas M(H). Inicialmente serão estudadas amostras em que o EMP possa ser controlado via teor de oxigênio. (AU)