Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantificação de parâmetros patológicos envolvidos em interações citros/Xylella fastidiosa

Processo: 04/05767-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Sílvio Aparecido Lopes
Beneficiário:Alessandra de Lima Garcia
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Xilema   Xylella fastidiosa   Clorose variegada dos citros   Resistência à doença

Resumo

A clorose variegada dos citros, causada pela Xylella fastidiosa, uma bactéria gram-negativa, limitada ao xilema e transmitida por cigarrinhas, tem sido uma preocupação para os produtores de citros do Brasil, pois as plantas afetadas por este patógeno podem apresentar redução na produção estimada em até 67% no número e 80% no peso dos frutos por planta, gerando danos econômicos estimados em cem milhões de dólares anuais. Métodos para controle desta patologia, como a utilização de mudas livres da bactéria, poda e aplicação de inseticida contra os vetores, têm sido recomendados e adotados pelos produtores. A resistência genética não é adotada porque todas as laranjas doces cultivadas comercialmente, em maior ou menor intensidade, são suscetíveis. Os limões e tangerinas, por sua vez, não são afetados, indicando que ou são tolerantes ou que possuem em seu sistema vascular substâncias que impedem a multiplicação da bactéria. O conhecimento do porquê destes materiais não serem afetados poderá trazer subsídios para programas de melhoramento visando a busca de híbridos resistentes entre as laranjas doces. A causa da resistência pode estar na inabilidade do patógeno em colonizar o xilema das plantas. Visa-se com este trabalho estudar em detalhes a aparente resistência dos limões e tangerinas, comparando-os com as laranjas doces, através de inoculações artificiais em condições de casa de vegetação, e da quantificação de alguns parâmetros patológicos envolvidos nas interações com a bactéria. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: