Busca avançada
Ano de início
Entree

Construcao de vetor adenoviral portando o cdna do gene xpg, e analise da mutacao de uma linhagem de celulas xpg-/-.

Processo: 04/03988-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2004
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Daniela Tathiana Soltys
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/13255-5 - Genes de reparo de DNA: análise funcional e evolução, AP.TEM
Assunto(s):Reparo do DNA   Adenovirus   Mutação

Resumo

Existe uma variedade de agentes lesivos ao DNA, tanto de origem endógena como ambiental. Para preservar seu patrimônio genético, os organismos contam com uma complexa e intrincada rede de vias de reparo de DNA. Entre essas, destaca-se o NER (Nucleotide Excision Repair), pela sua capacidade de reparar uma ampla variedade de lesões no DNA. Participam do NER diversas proteínas, entre elas a endonuclease XPG. Pacientes que apresentam essa proteína mutada apresentam a síndrome Xeroderma Pigmentosum (XP), ou até mesmo XP combinada com a síndrome de Cockayne, se uma segunda função (ainda não esclarecida) dessa proteína for alterada pela mutação. A fim de contribuir para a elucidação dos mecanismos envolvidos no reparo de DNA, em especial a função da proteína XPG nesses processos, primeiramente propomos investigar a natureza da mutação de fibroblastos oriundos de um paciente brasileiro, que através de testes de complementação gênica é sabidamente deficiente em XPG. Dentro desse projeto, e como linha principal, pretendemos também construir adenovírus recombinantes portando o cDNA do gene xpg, fusionado com o gene repórter egfp, e realizaremos testes de complementação para verificar se células XPG-/- recuperam a atividade ao serem infectadas por esses adenovírus. Também verificaremos a dinâmica dessa proteína no núcleo de células proficientes e deficientes em reparo de DNA, após serem irradiadas por luz ultravioleta (UV). Esperamos, assim, contribuir com os estudos de reparo de DNA, processo fundamental para a manutenção do equilíbrio da vida. (AU)