Busca avançada
Ano de início
Entree

O paesaggio neo-realista: ensaio sobre o filme "Obsessão" e o neo-realismo cinematográfico italiano

Processo: 04/01238-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2004
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Marilena de Souza Chauí
Beneficiário:Alex Sandro Calheiros de Moura
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

O ponto de partida do nosso projeto de pesquisa é o filme Ossessione (Obsessão, 1943), de Luchino Visconti. Queremos aqui discutir dois problemas fundamentais na história crítica do neo-realismo, a saber, sua gênese e sua estrutura. No que diz respeito a sua gênese, queremos rediscutir a partir do contexto político cultural italiano, sua autoria; e no que diz respeito a sua estrutura, queremos rediscutir a sua forma. O projeto parte de dois princípios: de que o grupo que planejou e executou o filme Obsessão como um ato de resistência cultural, expressou as necessidades de oposição política ao fascismo e elaborou um programa político e estético revolucionário.; de que a forma poética neo-realista não pretendeu fundar uma escola, nem elaborou um programa propriamente dito, mas debateu e experimentou temas, formas e meios de expressão. Assim, acreditamos ser mais adequado pensar Obsessão e conseqüentemente o neo-realismo, quanto a sua autoria, como a obra de uma geração na medida em que ela expressa temática e estilisticamente os anseios de um tempo, e, quanto a sua forma, como um ensaio, porque elabora a matriz a partir da qual muitas cinematografias criam sua própria poética. Portanto, é a partir desta chave de leitura que pretendemos construir nossa interpretação do filme: Obsessão tem um caráter coletivo no que se refere à autoria e um caráter ensaístico na forma como se constituiu e se desenvolveu. (AU)