Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel dos fluxos de óxido nitroso dos rios para a atmosfera no ciclo do nitrogênio na Amazônia Brasileira

Processo: 04/10009-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Alex Vladimir Krusche
Beneficiário:Carolina Barisson Marques de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Amazônia   Gases do efeito estufa   Ciclo do nitrogênio   Óxido nitroso   Rios   Mudança climática

Resumo

As concentrações de óxido nitroso, um poderoso agente do efeito estufa, têm aumentado significativamente neste século. Isto se deve, em grande parte, à queima de combustíveis fósseis, mas outras fontes desconhecidas são necessárias para explicar tais aumentos. O desmatamento e queimadas nos trópicos têm sido indicados como causas possíveis mas, pouco se sabe sobre a dinâmica deste gás nestas regiões, mesmo sob condições naturais. Esta lacuna é ainda mais grave no que tange as emissões de ambientes aquáticos. Em alguns sistemas de várzea, há relatos de que até aproximadamente 50% das perdas de N em lagos possa ser decorrência de fluxos evasivos de N2O. Portanto, os fluxos de N2O para a atmosfera a partir de rios desta região podem ser importante via de ciclagem deste elemento. Este projeto procura a obtenção de informações que nos permitam entender qual é o papel dos fluxos de N2O para a atmosfera, a partir de sistemas fluviais, no balanço de nitrogênio na Amazônia? O projeto em que este se insere conta com financiamento das agências norte-americanas NSF e NASA e encontra-se sob revisão na FAPESP, sob o título de "O papel dos sistemas fluviais amazônicos no balanço regional e global de carbono: evasão de CO2 e interações entre os ambientes terrestres e aquáticos". (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.