Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do fator de necrose tumoral-alfa (TNF) em queratinócitos humanos que expressam as proteínas E6 e E7 de Papilomavírus Humano tipo 16 (HPV 16)

Processo: 04/09428-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2004
Vigência (Término): 20 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Luisa Lina Villa
Beneficiário:Carina Victoria Manzini Baldi
Instituição-sede: Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer (ILPC). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Monocamadas de Langmuir   Fator de necrose tumoral alfa

Resumo

Os HPV 16 e 18 são denominados de alto risco por estarem associados ao carcinoma. Estudos mostram que 20-25% das mulheres entre 18 e 30 anos estão infectadas com algum tipo de HPV,sendo que somente uma pequena proporção delas desenvolve o câncer de colo de útero. Considera-se que, a resposta imune celular contribui indiretamente para a eliminação das infecções virais através da liberação de citocinas, tal como o TNF, que apresenta efeito inibidor sobre a proliferação de queratinócitos humanos normais. Estudos recentes mostram que,quando expressas em diferentes tipos celulares,as proteínas E6 e E7 de HPV induzem resistência à ação ao TNF, sugerindo que a aquisição dessa resistência pode ser um passo importante no processo de tumorigênese mediado por estas oncoproteínas. Sabe-se que, o produto destes genes se liga ao produto dos genes p53 e pRb, respectivamente,levando a sua degradação pela via de proteólise dependente de ubiquitina.Estas interações são centrais à capacidade tumorigênica destas proteínas. Por tanto, torna-se necessária a caracterização dos mecanismos moleculares responsáveis pela resistência ao efeito antiproliferativo do TNF. Além disso, é importante estudar a existência de uma relação entre a capacidade destas proteínas de inativar p53 e pRb e de induzir resistência ao TNF. Para isso, pretendemos expressar mutantes destas proteínas em culturas organotípicas de queratinócitos primários humanos e analisar os efeitos do TNF na proliferação e na expressão gênica destas células. (AU)