Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da IL-23 na indução da nocicepção e da migração de neutrófilos no modelo de imunização e desafio com mBSA

Processo: 04/12977-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Fernando de Queiroz Cunha
Beneficiário:Henrique de Paula Lemos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/07838-2 - Reação inflamatória: mediadores envolvidos na gênese da dor, migração e ativação de leucócitos e septicemia, AP.TEM
Assunto(s):Nociceptividade

Resumo

A mobilização de leucócitos para o foco inflamatório é um fenômeno essencial para a defesa do organismo contra agentes lesivos. No entanto, há situações em que tal migração é deletéria, como nas doenças inflamatórias imunes. A patogenese destas doenças, tais como artrite reumatóide e esclerose múltipla, envolve uma resposta inflamatória imune Th1 com produção de citocinas e quimiocinas ocasionando lesões em órgãos e tecidos, além de dor, esta última sendo um importante componente limitante da vida dos pacientes. A IL-23, uma citocina recentemente descoberta, tem sido apontada como essencial na patogenese de doenças auto-imunes mediadas por células Th1. A IL-23 compartilha a subunidade p40 com a IL-12, além de se ligar na mesma cadeia do receptor de IL-12 (IL-12RB1), desse modo os mecanismos biológicos dessas citocinas foram mal interpretados pela literatura. A IL-12, anteriormente reconhecida como sendo uma citocina chave para a promoção de tais doenças, possivelmente atua de forma imunoregulatória nas fases tardias da inflamação, especificamente quando a IL-23 mantém o processo inflamatório. Porém, os mecanismos pelos quais a IL-23 atua para a indução da migração de neutrófilos em doenças auto-imunes não estão completamente elucidados, bem como se esta citocina participa da nocicepção em tais patologias. Com isso, o objetivo deste estudo é contribuir para tal compreensão, visto a sua importância como alvo potencial de novas estratégias de intervenção terapêutica. (AU)