Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo anatômico da relação de líquen x substrato em mangues de Itanhaém (SP)

Processo: 04/11410-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2006
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Marcelo Pinto Marcelli
Beneficiário:Marcos Junji Kitaura
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia vegetal   Substratos   Periderme   Líquens

Resumo

Este projeto pretende definir técnicas para o preparo de amostras e de confecção das lâminas histológicas, para que sejam analisadas as relações que cada líquen com o seu hospedeiro. Como material teste das metodologias aplicadas e desenvolvidas serão selecionadas cinco espécies de fungos liquenizados de ocorrência comum nos manguezais brasileiros e coletados no manguezal do Rio Itanhaém. Essas espécies deverão representar tipos diferentes de talos liquênicos com diferentes tipos de fixação e diferentes níveis de intimidade com a casca dos mangues. Obrigatoriamente, serão incluídas formas crostosas, foliosas (Parmeliaceae) e fruticosas (Usnea baileyi), e terão preferência liquens que cresçam sobre mais de uma espécie de forófita. O número de espécies incluídas será limitado pelo tempo. O manguezal foi escolhido por representar um dos poucos ambientes brasileiros cujas espécies de fungos liquenizados são conhecidas e onde a abundância de hospedeiros de uma mesma espécie garante quantidade de material de estudo em abundância suficiente para amostragens repetidas. Este projeto faz parte do Projeto Temático (FAPESP/BIOTA, processo 03 / 07305-0, em fase de julgamento) Liquens do estado de São Paulo: estudos fundamentais de biodiversidade e biomonitoramento (coordenador: Dr. Marcelo P. Marcelli), Subprojeto 1: Levantamento das espécies de fungos liquenizados em regiões naturais e alteradas do estado de São Paulo (subcoordenador: Dr. Marcelo P. Marcelli). (AU)