Busca avançada
Ano de início
Entree

Física experimental de altas energias: os experimentos DZero do Fermilab e CMS do CERN

Processo: 04/06708-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de agosto de 2004
Vigência (Término): 31 de julho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Eduardo de Moraes Gregores
Beneficiário:Eduardo de Moraes Gregores
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/00378-4 - Física experimental de altas energias: os experimentos DZero do Fermllabe CMS do Cern, AP.JP
Assunto(s):Partículas (física nuclear)   Bóson de Higgs   Interações nucleares   Física de alta energia

Resumo

Este projeto visa propiciar a consolidação do grupo de Física Experimental de Altas Energias do Instituto de Física Teórica da Unesp, formado pelo Dr. Sérgio Novaes e pelo candidato. Procuramos investigar as interações fundamentais da natureza e, para tanto, associamo-nos às colaborações experimentais que exploram a fronteira das altas energias: as colaborações DZero do Fermilab, e CMS do CERN. No experimento DZero participamos da construção do detector de prótons frontais e estamos construindo em São Paulo um cluster de computadores para o processamento e análise de dados dessa colaboração, o projeto SPRACE. Este cluster servirá também como contribuição inicial ao projeto GridUnesp, por nós proposto, que visa a integração dos recursos computacionais da Unesp, e ao Projeto GIGA da RNP, que planeja a implantação de uma rede de alta velocidade (Gigabit) que interligará o cluster de nossos colaboradores no Rio de Janeiro ao nosso cluster em São Paulo, estabelecendo assim as bases para formação do HEPGrid-Brazil, a ser acoplado ao Grid internacional do CMS. No estado de São Paulo, apenas os 2 pesquisadores acima mencionados do IFT-Unesp participam destes experimentos. A consolidação do grupo paulista do IFT-Unesp permitirá que São Paulo participe dos esforços capitaneados pelos experimentos da Física de Altas Energias no desenvolvimento desta revolucionária arquitetura de processamento distribuído, o GRID, e na investigação das interações fundamentais da natureza. (AU)