Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas de ouro no desenvolvimento de sistemas metalorgânicos funcionais

Processo: 04/13593-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de abril de 2005
Vigência (Término): 30 de junho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Henrique Eisi Toma
Beneficiário:Leonardo da Silva Bonifácio
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:00/06560-8 - Desenvolvimento da química e dispositivos metal-orgânicos supramoleculares, AP.TEM

Resumo

No limiar da era nanotecnológica, cada vez mais se têm buscado sistemas capazes de atuar como dispositivos funcionais para aplicações em áreas que abrangem sensores e computação molecular. Grande interesse tem sido voltado para nanoparticulas dos mais diversos tipos. As nanopartículas de ouro em especial, tem se mostrado uma grande promessa no desenvolvimento de sensores, devido à facilidade de funcionalização. Graças ao caráter mole dos átomos de ouro, observa-se a formação de ligações estáveis entre nanopartículas e moléculas contendo grupamentos tiol, abrindo caminho para a obtenção dos mais variados tipos de blocos de construção, permitindo a obtenção de materiais nanoestruturados funcionais por auto montagem. Além disso muito se têm investigado visando a aplicação das nanopartículas de ouro como quantum dots, que são a grande promessa para o desenvolvimento de dispositivos lógicos em escala nano. No presente projeto de doutorado direto pretende-se investigar a funcionalização de nanopartículas de ouro com grupos coordenantes sulfurados e complexos metálicos. Entre os sistemas que serão alvo dos estudos, pode-se citar os pentacianoferratos, os complexos de rutênio-edta, e os clusters trigonais de acetato de rutênio, que se apresentam como uma possibilidade viável na obtenção de nanoestruturas organizadas por auto montagem e nanopartículas magnéticas, interessantes no desenvolvimento de sensores químicos e biosensores. Os estudos serão ampliados para a incorporação de materiais de interesse biológico, como DNA e anticorpos, para o desenvolvimento de biosensores. (AU)