Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do papel da nattectina, toxina do veneno de Thalassophryne nattereri na resposta imune inata e específica

Processo: 04/11442-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Monica Valdyrce dos Anjos Lopes Ferreira
Beneficiário:Tania Cristina Saraiva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/13751-2 - Caracterização farmacológica, bioquímica e imunológica de venenos e toxinas de peixes peçonhentos do Brasil, AP.JP
Assunto(s):Imunidade inata

Resumo

No Brasil dentre os animais aquáticos de importância médica, destaca-se o peixe Thalassophryne nattereri pelo número e gravidade dos acidentes que provocam. As principais características do quadro clínico em humanos são a dor, edema e necrose. Os trabalhos realizados com o veneno de T. nattereri mostraram sua complexidade de ação e apontaram para a possibilidade de que toxinas poderiam ser caracterizadas a partir do veneno. Assim, a purificação das toxinas Natterinas e Nattectina do veneno vêm sendo desenvolvida através da utilização de técnicas cromatográficas e a caracterização de suas estruturas através da abordagem de química de proteínas e de biologia molecular. A Nattectina apresenta homologia com lectinas tipo C que são descritas principalmente por possuírem atividade hemaglutinante e induzirem a agregação plaquetária, exercem também importante papel no sistema imune. Embora muitas lectinas presentes em venenos animais venham sendo estudadas, o papel dessas na resposta imune tem sido pouco abordado. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho será avaliar o papel da Nattectina na resposta imune desencadeada pelo veneno de T. nattereri: o papel na indução da resposta imune inata em camundongos e o desencadeamento da resposta imune adquirida. Avaliaremos a capacidade da toxina em induzir migração celular e ativar as células apresentadoras de antígeno pela determinação da produção da citocina IL-12 e da expressão de moléculas co-estimulatórias. (AU)