Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica espacial e temporal em populações de bruquídeos (Coleosptera: Bruchidae) predadores de sementes de Acacia plumosa Lowe (Mimosaceae) e seus parasitoides

Processo: 04/16082-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de abril de 2005
Vigência (Término): 19 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Marcelo Nogueira Rossi
Beneficiário:Marcelo Nogueira Rossi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/06737-6 - Dinâmica espacial e temporal em populações de bruquídeos (Coleoptera: Bruchidae) predadores de sementes de Mimosa bimucronata (DC) Kuntze (Mimosaceae) e seus parasitóides, AP.JP
Assunto(s):Acácia   Predação   Modelos matemáticos

Resumo

Sabe-se que os herbívoros podem influenciar o desempenho reprodutivo das plantas. Diversos besouros se desenvolvem dentro das sementes, destacando os da família Bruchidae. O presente projeto tem como objetivo estudar aspectos teóricos e empíricos relacionados à dinâmica espacial e temporal de um sistema tritrófico composto por Acácia plumosa, besouros Bruchidae e seus parasitóides. Será também estudada a fenologia reprodutiva de A. plumosa, os danos causados pela predação de suas sementes e a variabilidade genética intra-específica das populações de bruquídeos e parasitóides. O estudo da fenologia será feito por meio de avaliação não destrutiva. O efeito da predação será avaliado através da contagem do número de sementes predadas por fruto. Será observada a emergência de predadores de sementes e parasitóides, avaliando-se também a matéria seca total e a matéria seca das sementes não predadas. O método de estatística espacial SADIE, bem como uma extensão deste método, serão empregados para se determinar o padrão de distribuição espacial dos bruquídeos e seus parasitóides e o grau de associação entre estas populações, respectivamente. Em seguida, a variabilidade genética intra-específica das populações de bruquídeos e parasitóides, e sua relação com a abundância e tamanho corporal será estudada. O projeto será finalizado com a aplicação de modelos matemáticos hospedeiro-parasitóide. (AU)