Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução craniana dos primatas do Velho Mundo: um estudo comparado de genética quantitativa para entender integração morfológica e processos evolutivos

Processo: 04/13819-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Quantitativa
Pesquisador responsável:Gabriel Henrique Marroig Zambonato
Beneficiário:Felipe Bandoni de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/05804-6 - Evolução morfológica, biogeografia e sistemática em mamíferos neotropicais, AP.JP
Assunto(s):Macacos   Evolução animal   Evolução molecular   Morfometria   Morfologia animal

Resumo

Seleção natural e deriva genética são considerados os principais processos capazes de explicar a evolução dos seres vivos. Contudo, apesar da extensa lista de evidências que apontam para a ocorrência desses processos na natureza através de estudos nos níveis de organização populacional/molecular, quase nada se sabe a respeito do papel relativo de cada um na geração e manutenção da diversidade da vida lato senso. Com raras exceções na literatura, não há dados que informam se um processo prevalece sobre o outro ou em que condições isso ocorreria (ex.: variação na freqüência de um ou outro processo conforme o grupo ou o ambiente analisado). Uma abordagem promissora para analisar a questão é estudá-la em um contexto filogenético amplo, sob a luz de modelos de Genética Quantitativa. Assim, propomos uma análise detalhada da morfologia do crânio das espécies de macacos do Velho Mundo (Catarrhini) para investigar diversas questões: 1) qual o processo evolutivo mais freqüente nesse grupo; 2) quais são os padrões de integração morfológica e como estes divergem dos macacos Neotropicais. 3) Que fatores ecológicos/filogenéticos podem ter afetado tanto a integração morfológica quanto os processos evolutivos durante a diversificação dos Catarrhini. Desta forma, os dados deste projeto serão acrescentados aos já obtidos para os macacos do Novo Mundo (Platyrrhini), gerando um banco de dados expressivo em termos taxonômicos e biogeográficos, e que permitirá testar outras hipóteses. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
OLIVEIRA, Felipe Bandoni de. Evolução do crânio dos macacos do Velho Mundo: uma abordagem de genética quantitativa. 2009. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.