Busca avançada
Ano de início
Entree

Periferia: conceito, praticas e discursos. um estudo da acao estatal na urbanizacao e na formacao da cidade de sao paulo.

Processo: 04/04307-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2004
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional - Fundamentos do Planejamento Urbano e Regional
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Xavier Pereira
Beneficiário:Giselle Megumi Martino Tanaka Toshimitsu
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Periferia   Gestão urbana   Planejamento territorial urbano

Resumo

Nas últimas décadas do século XX a relação Estado e urbano, em São Paulo, foi marcada pela noção de periferia. A pesquisa de mestrado tem como objetivo investigar a relação entre a ação estatal no urbano e a formação da periferia (como conceito e lugar) na cidade de São Paulo. A investigação parte desta construção da noção de periferia, nas décadas de 1970 e 1980, como centro de um entendimento da questão urbana. Por meio de uma revisão da bibliografia, pretendemos resgatar o termo periferia e analisar a construção do conceito. A partir da noção de periferia, construíram-se modelos explicativos para a compreensão da urbanização paulistana. Será investigado quais são estes modelos e como estes passam a orientar discursos e práticas do Estado, a partir da década de 1980, e, qual o papel que os movimentos sociais urbanos (surgidos nesta década) tiveram nestas mudanças. Estas questões serão analisadas por meio de documentos técnicos, planos urbanísticos, e realização de entrevistas, através dos quais vamos verificar o discurso e o papel dos agentes sociais nas mudanças das práticas do Estado na cidade. O termo periferia foi apropriado pelo discurso estatal e generalizado, ao mesmo tempo em que perde lugar no debate acadêmico, na medida em que a industrialização deixa de ser o paradigma para o entendimento das relações na cidade. Propõe-se resgatar o conceito de periferia, do momento em que este surge no debate da questão urbana, ao momento em que se generaliza e perde sua capacidade explicativa, sempre o relacionando com a ação estatal na formação da cidade e recolocar a questão do conceito e das práticas em debate ao discutir o sentido dessas mudanças. (AU)